Eu, a Patroa e as Crianças


Eu, a Patroa e as Crianças é uma série de TV norte-americana, uma comédia de situação, criado por Don Reo e Damon Wayans, apresentado originalmente nos Estados Unidos pela rede ABC, entre 28 de março de 2001 a 18 de maio de 2005, num total de 124 episódios, de aproximadamente 23 minutos cada, em 5 temporadas. No Brasil esta série recebeu o nome de Eu, a Patroa e as Crianças, e foi apresentada pela televisão por assinatura, o canal Sony Entertainmente Television e vem sendo reprisando continuamente pela SBT, em diversas épocas e horários, como tapa buraco, em sua programação.

 

O espetáculo era centrada na cidade de Stamford, em Connecticut, Estados Unidos, onde viviam a engraçada família afro-americana, composta pelo pai, a mãe e os três filhos, duas meninas e um garoto. A história desta família, começa quando Michael Kyle engravida Janet e os dois acabam se casando. Michael não tem muito dinheiro, mas com a ajuda da sua mulher resolver abrir uma transportadora.

Com o passar do tempo, a sua situação financeira vai melhorando, as crianças vão crescendo, até o filho e a filha entrarem na adolescência, momento em que o espetáculo tem inicio. O escasso diálogo entre pais e filhos, os problemas da adolescência, os conflitos matrimonias e outros temas cotidianos são abordados com muita graça e com grande dinamismo. 

Graças aos dotes cômicos de Demon Wayans, com seu jeito, suas expressões faciais e as imitações quase perfeitas, fazem da série uma das mais engraçadas dos últimos tempos. O resto do elenco acompanha muito bem todas as sacadas, principalmente a caçula Kady, cujo encanto e ternura, só tem a acrescentar no espetáculo.

O pai, Michael Richard Kyle é um sujeito amável e carinhoso com a mulher e seus filhos, até as coisas começarem a sair do seu controle. Quando isso acontece ele tenta de tudo para contornar e resolver o problema ao seu modo, mesmo que a sua mulher, freqüentemente não concorde com seus métodos. Dono de uma transportadora, tinha um padrão de vida estável e próspera, uma mulher e filhos que o adoravam, mas como todo pai, também vivia com os problemas familiares do dia-a-dia. 

Grande parte dos problemas eram gerados pelos filhos, principalmente a filha e o filho adolescentes ou então eram conflitos comuns entre marido e mulher, e às vezes problemas pessoais, como por exemplo ir ao médico para fazer o exame de próstata.

A mãe, Janet Marie Kyle, também compartilhava com o marido dos problemas familiares, apesar de em grande parte dos episódios ela ter uma idéia diferente do marido, quanto a resolver os problemas dos filhos ou matrimoniais. Ela chamava o marido carinhosamente de Michael e só dizia o nome completo dele quando estava zangada. Ela tinha um certo probleminha com seu peso e isso gerou confusões e desentendimentos em alguns episódios.

Apesar do marido estar financeira bem, ela resolve trabalhar fora, para que a sua vida possa ter um pouco mais de significado, mas isso não era compreendido pelo seu marido. Num dos episódios ele a convença a deixar o emprego e ir trabalhar com ele na empresa. Com o passar dos dias ela passa a comandar a empresa e a vida dele torna-se um inferno. Ai ele se convence que é melhor deixar ela ir trabalhar e passa a aceitar que ela trabalhe fora.

Toda vez que o seu relacionamento matrimonial não vai bem, ela recorre a um psicólogo, que obriga o marido a comparecer em seu consultório, para ver a versão de cada um deles sobre seus desentendimentos. Ele não aceita as opiniões do psicólogo e ainda fica furiosa por ter que pagar a consulta para escutar todas aquelas baboseiras do dito doutor, que ela tanto gosta e confia.

Quando a série começou a filha Claire era interpretada pela atriz Jazz Raycole que acabou sendo retirada do espetáculo por que mãe ficou muito preocupada com um enredo de um episódio de estréia da segunda temporada, na qual a personagem Claire e a sua amiga Charmaine, interpretada pela atriz Raven-Symone, descobria que estava grávida. 

Dessa maneira Jazz saiu do espetáculo e a personagem Claire passou a ser interpretada pela Jennifer Freeman até o encerramento da série. Claire era uma adolescente, como muitas da sua idade, gostava de sair com a amigas, ficar falando horas no telefone, arrumar namorados estranhos e coisas do gênero, mas era geralmente podado pelo pai, pois ele achava que ela ainda não tinha idade suficiente para isso. 

Num dos episódios ela tentou sair com o namorado às escondidas, através de uma escada que fora colocada na parte de fora de sua janela, mas pai acabou descobrindo, flagrando os dois. Numa outra, o pai não concorda com as suas roupas e assim resolve acompanhá-la para comprar a sua roupa e ela acaba passando a maior vergonha diante de suas amigas.

Seu namorado habitual, na maioria dos episódios era Tony, um garoto da mesma idade que Claire, que participava regularmente no espetáculo. De temperamento meio tímido, sem iniciativa e em alguns episódios mostrava-se até muito religioso, que vivia satisfazendo as vontades e maluquices da Claire, que o sempre acabava-o colocando em encrenca com os pais dela.

Na série o filho se chamava Michael Richard Kyle Jr., da idade mais ou menos próximo da filha Claire e era simplesmente chamado de Junior por todos os amigos e familiares. Ele tinha uma cabeça enorme e pontuda, o que geralmente acabava virando alvo de piada do espetáculo. Ele não era muito inteligente e geralmente só pensava em sexo e não via a hora de ter a sua primeira transa. Durante a terceira temporada a atriz Meagan Good foi colocada no espetáculo como sendo a nova namorada do Júnior. 

No primeiro episódio da quarta temporada, inexplicavelmente a namorada foi substituída por Brooklyn Sudano, filha da cantora Donna Summer, muito popular na década de 70. Nenhuma explicação foi dada para essa troca. Nas últimas temporadas, Júnior acaba repetindo a mesma trajetória dos seus pais. Acaba engravidando a namorada e tendo um filho. A única diferença desta vez, era o fato dos avós (Michael e Janet) terem de cuidar do neto, além de sustentar Junior e sua mulher, pois eles eram muito jovens e incapazes de andar com seus próprios pés.

Para completar a família havia a doce caçulinha Kady. que era o xodó do pai. Ela era doce, muito terna, mas sabia ser esperta quando precisava. Num dos episódios o irmão Junior tenta se aproveitar de sua ingenuidade, mas quem acabou mesmo sendo tapeado foi ele. Ela tinha também um admirador chamado Franklin, que participava regularmente do programa, um outro garoto de mesma idade, muito esperto e engraçado, mas mais baixinho do que ela, que vivia fazendo declarações de amor e chamando-a de “meu docinho“, “paixão da minha vida” e coisas parecidas.

Em vários momentos, a menininha e o pequeno admirador dela, tomavam conta do espetáculos com suas piadas ingênuas, porém muito engraçadas. Apesar do seu tamanho e idade, ele era muito culto, falava muitos idiomas, conhecia muito história e outras matérias. Num dos capítulos, alguém faz uma piada sobre uma galinha. Ninguém ri porque a piada não é engraçada. Franklin intervêm e declara que a piada ficaria mais engraçada em latim. Dito isso, ele repete a piada em latim e em seguida dá uma longa risada. 

Apesar de todas as encrencas do dia-a-dia, a família era possuidora de muito carinho e amor entre eles e geralmente toda a confusão acabava bem ao final de cada episódio. Dificilmente um assunto de um episódios tinha seqüência no outro. A cada episódio um assunto novo era sempre abordado. A série também contava com a participações de vários artistas convidados, entre eles Michael Jordan e outros astros do basquete como Shaquile O´Neal, além de astros e estrelas famosas. Ao final de cada episódio, quase no momento que aparecerem os créditos finais do espetáculo, era apresentada uma cena em que as coisas não deram certo, como uma das pessoas do elenco esquecendo o texto ou dando risadas inoportunas, fazendo um desfecho muito simpático e engraçado ao espetáculo.

Foto – Família Wayans

Um dos criadores da série Damon Wayans, também interpretava o pai, Michael Kyle, assim como muitos membros da família Wayans também trabalhavam na equipe de produção do espetáculo, como por exemplo, Damien Dante Wayans, que foi produtor ou co-produtor da quarta temporada e um “executive story editor” na temporada quatro e cinco. Damien, também escreveu e dirigiu vários episódios da série na temporadas três até cinco. Damon Wayans, Jr. escreveu para alguns episódios da quarta e quinta temporada. Elvira Wayans também escreveu alguns episódios da quinta temporada, Kim Wayans tornou-se roteirista regular da série, depois que escreveu alguns episódios da segunda temporada. 

Até o primo de Damon, Craig Wayans participou como roteirista e editor na segunda temporada, a partir de então continuou como produtor supervisor. Fora esses um par de crianças da família Wayans, além do irmão e outros membros dessa incontável família tomam parte do espetáculo. Em maio de 2005, o espetáculo foi encerrado, apesar da série render uma boa audiência, após 5 temporadas de muito sucesso. Quando perguntado sobre o motivo do cancelamento, os executivos da ABC disseram apenas, que era porque havia terminado.

Damon Wayans (MIchael Kyle – 2001-2005)

Tisha Campbell (Janet “Jay” Kyle – 2001-2005)

George Gore II (Michael Kyle Jr. – 2001-20005)

Parker McKenna Posey (Kady Kyle – 2001-2005)

Jennifer Freeman (Claire Kyle – 2001-2005)

Jazz Raycole (Claire Kyle – 2001 – 4 episódios)

Noah Gray-Cabey – (Franklin Aloysius Mumford – 2003-2005)

Andre McFarlene (Tony – 2001-2005)

Meagan Good (Vanessa – 2003)

Brooklyn Sudano (Vanessa – 2003-2005)

 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: